Cúpula das Forças Armadas ficou “chocada” com a acintosa compra da mansão por Flávio Bolsonaro

TRIBUNA DA INTERNET | 52% dos brasileiros são contra a presença fardada no poder político, aponta pesquisa do Datafolha

Charge do Nani (nnihumor.com)

Carlos Newton

As Forças Armadas são como as religiões hindus do Oriente e também se dividem em castas. Para o presidente Jair Bolsonaro é eleitoralmente importante que conte com o apoio das classes militares inferiores, e ele trabalha incessantemente essa meta. Porém, como não estamos em ano de eleição, hoje o fundamental é ter o respaldo dos oficiais superiores da ativa, aqueles que comandam as tropas.

Na situação caótica e surreal em que o país se encontra, para o presidente o que importa mesmo é o apoio do Alto-Comando das Forças Armadas e de cada uma das Armas, especialmente o Exército, cujo Alto-Comando funciona como instrumento não-declarado de poder.

SURGE UM COMPLICADOR –  Com o fracasso no combate à pandemia, a linha política extravagante, a diplomacia submissa aos EUA e as atitudes nada republicanas do presidente da República, que incluem a guerra aberta contra a imprensa, o Alto Comando recolheu os flapes e jamais deu demonstrações de apoio a Jair Bolsonaro.

E agora a situação se complicou, devido à inconveniente, inoportuna e mal explicada compra de uma mansão pelo senador Flávio Bolsonaro no Lago Sul, região mais valorizada de Brasília foi uma espécie de gota d’água que decepcionou não somente todos os Altos-Comandos militares, mas também grande número de adoradores de Bolsonaro, que tentam transformar em qualidades os múltiplos defeitos do mito.

DESFAÇATEZ DO 01 – Os oficiais-superiores ficaram incomodados com a desfaçatez do filho 01 do presidente, que é acusado de prevaricação, lavagem de dinheiro e associação criminosa, com fartas provas, mas vem escapando da Justiça mediante uso de tecnicalidades processuais, sem a menor condição de comprovar sua inocência.

Ao invés de ficar quieto no seu canto, Flávio Bolsonaro exibiu uma imaturidade que mais parece um caso patológico de afronta à Justiça e à sociedade.

O pior foi quando souberam que o presidente tinha conhecimento e concordara com a compra da mansão, com escritura definitiva, apesar de nem ter sido feito o pagamento inicial pactuado, vejam como esse negócio fede a quilômetros de distância.

APOIO IMPOSSÍVEL – Para os militares de verdade, que se preocupam com os destinos da nação, está cada vez difícil apoio o tresloucado capitão e seus conselheiros terraplanistas.

Eles sabem que o dia 15 se aproxima, quando estarão concluídos os inquéritos sobre fake news e atos antidemocráticos, cujas investigações chegaram ao gabinete do ódio, que funciona no terceiro andar do Planalto, junto às salas do presidente da República.

Os chefes militares da nação, podemos ter certeza, lembram o slogan do almirante Francisco Barroso e esperam que o ministro Alexandre de Moraes tenha a coragem suficiente para pedir a abertura de processo contra o presidente da República, pois as provas contra ele são abundantes.

###
P.S.Enquanto esperamos o dia 15, que cai numa segunda-feira, la nave va, cada vez mais fellinianamente. (C.N.)

22 thoughts on “Cúpula das Forças Armadas ficou “chocada” com a acintosa compra da mansão por Flávio Bolsonaro

  1. Cada dia que passa,o EMBUSTEIRO Tenente,que saiu do exército por desonra, está isolado.
    Vai responder a vários processos inclusive em Haia…

    A compra do casarão em Brasília,o financiamento só pode ser da funerária rio das pedras.

    Os chefões de todos os países,recomendam e dão exemplos,o uso de máscaras, vacinação em massa, isolamento por determinados períodos.

    Aqui o chefão,faz ao contrário,e cheio de gracinha.
    Afinal,o tenente é debilóide ou é sócio da funerária rio das pedras.
    Eis,a questão meu caro Watson.

  2. Viver neste país só tem um objetivo:
    Ganhar dinheiro, a meta das pessoas que compõem os poderes constituídos e, para a população, tentar sobreviver.
    Os militares apoiam Bolsonaro porque sabem que poderão usufruir do antigo oficial subalterno, que lhes propicia salários polpudos e regalias exclusivas.
    Nada mais perturba a cúpula e o andar térreo dessa instituição pois, em circunstâncias muito mais graves, o alto comando deixou que acontecessem sem nenhum tipo de obstáculo, principalmente com a instituição da corrupção nos poderes constituídos.
    O presidente age livre e impunemente, e estende essa condição para seus filhos e amigos, configurando cada vez mais o quanto retrocedemos em termos de desenvolvimento, e plena desobediência aos apelos éticos e morais, restando ao povo reviver ou ressuscitar o antigo feudalismo, que se via obrigado a sustentar os feudos e príncipes das regiões demarcadas, sobrando-lhes às suas existências o resto jogado fora pelos nababos.
    Os militares dão segurança e protegem esse renovado regime feudal, agora com características brasileiras, onde se destacam a injustiça social, impunidade dos poderosos, e cada vez mais são alcançadas às castas e elites mordomias, regalias, privilégios e proventos milionários.
    Aos extorquidos, roubados, explorados e manipulados cidadãos, restam-lhes a miséria, pobreza, desemprego, fome, e morrer pela pandemia.
    Cró, Cró (inacreditável a realidade brasileira).

  3. Bom dia mestre Newton!
    Eu não concord quando diz que os militares do alto comando não demonstraram apoio. O silêncio já é um apoio tácito.
    E o Clube Militar (???)
    Por que só no tempo do Governo Dilma ou quando prestes o STF colocar em pauta um julgamento do Lula é que se manifestava(???)

    Acho que militar honrado mesmo tem o Santos Cruz. Não acredito que todos sejam como ele. Ainda assim, não sei se o pensamento dele é tão democrático. O que pensa ele daqueles atos dos colegas ameaçando transvestidos de manifestações patrióticas e contra a corrupção que só fizeram quando o governo era um, mas não fazem agora, quando o governo é outro(???)

  4. Leão da Montanha, meu caro perguntador kkk KKK kkk

    http://www.tribunadainternet.com.br/bolsonaro-ve-exagero-e-ma-fe-em-inquerito-sobre-ministro-do-turismo/#comment-681091 … Lionço Ferreira … 11 de outubro de 2019 at 11:40

    Caro CN … Bom dia!

    Tem como confirmar???

    https://www.youtube.com/watch?v=PQQQc5S-elQ … URGENTE: STF MANDA PRENDER TUDO DO GIRO DE NOTÍCIAS E ALBERTO SILVA … 11 de out de 2019 … … … Uma investigação que estava em andamento a pedido do STF foi arquivada pelo Juiz Federal de Minas, O pedido (Segundo um fonte preservada) contou o que alvo era esse apresentador que subscreve , Alberto Silva

    adm.pensabrasil@gmail.com

    Sds.

  5. https://pt.wikipedia.org/wiki/Ditadura … com:

    Outras definições de ditadura
    Ditadura romana
    Na antiguidade, quando a República Romana se deparava com situações de emergência, era designado, pelos cônsules, um ditador para assumir o poder até que a situação voltasse à normalidade.[1]

    Os poderes conferidos ao ditador eram totais, mas, ainda assim, o ditador respondia por seus atos perante a lei, necessitando justificá-los depois de findo o período da ditadura. As ditaduras não podiam durar mais de seis meses.[1] Nos casos de perigo interno ou externo, proclamado o estado de tumultus (equivalente ao “estado de sítio” dos tempos modernos), ficavam suspensas todas as garantias públicas, colocando-se todas as classes à disposição do Estado. Em tal emergência, cabia, a qualquer dos cônsules, nomear um dictator, pelo prazo máximo de seis meses; nomeação esta que, normalmente, recaía no outro cônsul. O termo ditadura vem deste título dado aos magistrados.[2] O ditador ficava investido do poder de imperium, com autoridade ilimitada, inteiramente irresponsável, sobrepondo-se de maneira absoluta a todas as magistraturas, respeitadas apenas as prerrogativas sagradas dos tribunos da plebe. A instituição da ditadura, como magistratura excepcional, justificava-se em nome da salvação pública: salus publica suprema lex est.[3]

    Porém, após o século II a.C., as ditaduras romanas perderam esse caráter de legalidade, adquirindo características similares ao que se entende por ditadura hoje.

    A ditadura conceituada por Aristóteles, Platão e Maquiavel
    Segundo Aristóteles e Platão, a marca da tirania é a ilegalidade, ou seja, “a violação das leis e regras pré-estipuladas pela quebra da legitimidade do poder; uma vez no comando, o tirano revoga a legislação em vigor, sobrepondo-a com regras estabelecidas de acordo com as conveniências para a perpetuação deste poder”.[carece de fontes] Exemplo disso são as descrições de tiranias na Sicília e Grécia antiga, cujas características assemelham-se das ações tomadas pelas modernas ditaduras.[carece de fontes]

    Segundo Platão e Aristóteles, “os tiranos são ditadores que ganham o controle social e político despótico pelo uso da força e da fraude. A intimidação, o terror e o desrespeito às liberdades civis estão entre os métodos usados para conquistar e manter o poder. A sucessão nesse estado de ilegalidade é sempre difícil”.[carece de fontes]

    Aristóteles atribuiu a vida relativamente curta das tiranias “à fraqueza inerente dos sistemas que usam a força sem o apoio do direito”.[carece de fontes]

    Maquiavel também chegou à mesma conclusão sobre as tiranias e seu colapso, quando das sucessões dos tiranos, pois “este (a tirania) é o regime que tem menor duração, e de todos, é o que tem o pior final”,[carece de fontes] e, segundo as palavras deste, “a queda das tiranias se deve às desventuras imprevisíveis da sorte”.[carece de fontes]

    • A instituição da ditadura, como magistratura excepcional, justificava-se em nome da salvação pública: salus publica suprema lex est.
      ……
      Deste modo … não é correto se dizer Ditadura em relação ao Judiciário,né???

      Só no caso de Salvação Pública entende-se o STF … a exemplo de Jesus Salvador … ao afirmar ser o Espírito Santo a Convencer a Respeito do Pecado, da Justiça e do JUÍZO kkk KKK kkk

      Se escapa do JUIZ Jesus???

      STF neles kkk KKK kkk

  6. Realmente, a falta de ‘timing’ do fihote do Presidente é vexaminosa. O intrépido capitão, além de enfrentar com destemor os degenerados socialistas, é infernizado também pelas confusões da sua própria prole.

    Valei-nos, São Bolsonaro!

    • Caro Sr. Pereira,
      Errar todos nós erramos.

      Precisamos saber onde e como erramos.

      Infelizmentea casta, o estamento,sonegam informações,(mídia digamos aneste$iada),não temos elementos suficiente para termos critérios de avaliação.

      Infelizmente, Bolsonaro,tem tudo para continuar dar errado.

      Sua folha corrida não é boa.
      Bolsonaro ganhou pelo voto da revolta.

      Eis o preço,que pagamos..

      Pai Oxalá, Javé,ALá,(iilah),nos abençoe e nos proteja deste mal.
      Covid 19.
      Forte Abraço..

      PS: saudações.
      Coração boca,e mente.’

  7. Luiz Fernando Souza-POA/RS, meu caro amigo … sendo cineasta amador, sempre gostei da criatividade de Fellini … e estamos na mesma nave do nosso CN, né???

    E precisamos de entender o que é Ditadura … visto que existe os que ainda aceitam Terra Plana … coisa da época do Imperador Teodósio … o que Editou o Catolicismo como Religião Romana e deu ao Bispo de Roma o ser Pontifex … e determinou que os que não seguem o que Pedro Doutrinou em Roma são Hereges; pois não seguem o Sucessor de Pedro … e devem ser Castigados.

    Pio XII foi o último Papa a seguir Teodósio … desde São João XXIII a Igreja segue a Parábola do Joio e do Trigo …em que se convive e se deixa o Juízo para Jesus.

  8. O poder legislativo perdeu a sua utilidade e necessidade nesse regime “democrático” brasileiro, tornando-se uma casta altamente perdulária e irresponsável, contribuindo através da corrupção que lhe é inerente, para o caos político, social e econômico agravar-se perigosamente.

    O povo vive sob o fio da espada:
    Seja através da violência incontrolável e desmedida;
    Injustiça social cada vez mais profunda;
    Impunidade absoluta às castas, elites e poder econômico, que usufrui despudoradamente de extorquir o cidadão mediante juros ilegais;
    Salários aviltantes;
    Aumento da pobreza, miséria, desemprego e fome;
    A morte de quase três centenas de milhares de pessoas imoladas pela pandemia, onde parte dessas vítimas poderia ter sido evitada, caso o governo desse a devida importância à letalidade e capacidade de contaminação do vírus.

    Mesmo diante dessa situação inédita na História do Brasil, que acumula seus problemas originados em vários setores vitais à nação, e que se mostra incapaz e incompetente em administrar-lhes, de modo que fossem suportáveis aos cidadãos que pertencem às classes sociais menores, pelo menos, pois vivem com dificuldades extremas a cada dia, deputados e senadores ostentam suas vaidades, insensibilidade, desconsideração, desprezo, repúdio à população, e mostram as fortunas que obtém desse povo pobre e miserável, doente e desempregado, analfabeto e desesperado, apresentando ao país suas mansões, residências sofisticadas, e custos altíssimos na sua aquisição, enquanto milhões de pessoas ou não têm teto algum sobre suas cabeças ou tentam protegê-las com papelão ou marquises de prédios quando conseguem um lugar à noite para descansar seus ossos, e uma subsistência indescritível pelo sofrimento.

    O quadro da dor nacional não precisa de moldura para valorizá-lo.
    Sua crueldade, desumanidade explícita, perversidade imensurável e hostilidade incontestável, atestam o sofrimento atroz que hoje afeta a absoluta maioria dos brasileiros, menos às castas e legislativo, principalmente, que vivem as delícias dos extremos, e que fazem questão de demonstrar a sua superioridade perante o cidadão trabalhador, exigindo deste cada vez mais sangue, suor, lágrimas e trabalho, de modo que possam viver faustosamente na opulência, fartura, na riqueza obtida através do sofrimento alheio!

    Bela mansão do senador Flávio.

    Somente o ato de assinar o contrato do imóvel de milhões de reais, e financiamento a juros impossíveis para o povo, pois designados exatamente aos ricos e poderosos, milhões de pessoas deixaram de se alimentar, e continuam nas suas sagas e trilhas dolorosas porque nossos representantes no legislativo necessitam cada vez mais de nossos sacrifícios, tanto em vidas quanto existencial, haja vista que a felicidade não está na compra de mais um imóvel, sítio, carro, viagem para o exterior, cirurgia plástica, implantação de dentes de porcelana … mas no prazer sádico de usar o dinheiro de um povo pobre e miserável e, principalmente, obtido de forma ilícita e desonesta, corrupta e criminosa!

    A bela mansão é o sepulcro da esperança do povo;
    Nela está enterrada de uma vez por todas a chance de as autoridades terem mais respeito pelo cidadão;
    O mausoléu não somente serve de comprovação da brutal desigualdade social como demonstra, indiscutivelmente, que se estabeleceu no Brasil a superioridade humana de poucos, sobre a inferioridade de milhões de outros humanos, subjugados pela violência, arbitrariedade, crueldade, desumanidade e desrespeito à vida alheia.

    A fantástica residência do senador serve de modelo adequado e perfeito à razão inversa das casas de papelão, de restos de madeira, as palhoças, as choupanas, os barracos, onde a maioria do povo tenta se proteger quando consegue erguer o seu canto, e a distorção absoluta existente nos dias de hoje dos poderes constituídos para o trabalhador ou desvalido.

    Há 51 anos, especificamente em 1.970, o escritor Dee Brown escreveu o célebre livro intitulado Enterrem Meu Coração na Curva do Rio.
    O relato verdadeiro sobre a conquista do Oeste americano se tornou um divisor de águas na maneira de pensar na expansão do leste para oeste dos Estados Unidos, em sua trajetória de eliminação de várias tribos indígenas.

    O palácio do senador estipulou a divisão do povo com suas autoridades.
    A sua compra deu início à incontestável consciência de todos os brasileiros com as atrocidades que em seu nome são praticadas, mormente visando o extermínio dos pobres e miseráveis, na mesma carnificina americana com seus aborígenes.

    A magnífica mansão traz consigo o legítimo significado da destruição sistemática dos desvalidos no Brasil.

    Não precisamos de relatos, depoimentos, narrativas de desesperados e esfaimados, pois a mansão é o monumento à incúria, à discriminação, à secessão dos poderes para com o povo.

    A residência opulenta do senador será o registro pleno das intenções de nossos governantes para com o cidadão:
    Riquezas, às castas, elites e poder econômico; carências deploráveis, deprimentes e desmoralizadoras, à população.

    Boa parte do enorme terreno onde a casa está erguida deveria se destinar a enterrar corações, até porque perto do Lago Paranoá.
    Naquele local, os corações dos desvalidos enterrados teriam paz, segurança e proteção, e a estonteante visão da legítima separação de águas, onde uma delas só poderá ser sentida quando morto e, a outra, somente para abonados legisladores vivos e espertos, maldosos e sádicos.

  9. Não vejo algo como Forças Armadas no Brasil. O Brasil tem um monte de gente fardada que nunca se deparou com um inimigo desde os tempos de Adão e Eva. Formou-se, com esse marasmo, uma classe privilegiada: regalias, poder pessoal e sossego – morar em quartel fortificado com piscina, quadra de tênis e casino é mais prazeiroso e seguro do que morar numa casa de campo!
    A resultante falta de espirito de corpo e de uma forte filosofia norteadora dos propósitos da entidade, dá no que vemos: oficiais de todos os níveis dispostos a manchar a imagem da corporação por benesses do jumentino da vez. Até general de várias estrelas se presta á submissão humilhante de lambe-botas.

    • De concreto temos…

      Bolsonaro coloca mais um militar no governo. O general Jesus Corrêa é o novo presidente do INCRA. O cacetete vai arder no lombo do MST.

      Kkk…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *