Bannon, ex-marqueteiro de Trump, trata Lula como ‘o esquerdista mais perigoso do mundo’

Citado pela PF, ideólogo de Trump propaga fake news sobre urnas eletrônicas  - Jornal O Globo

Bannon, da extrema direita, é ídolo da família Bolsonaro.

​Elio Gaspari
Folha/O Globo

Outro dia, o audaz Steve Bannon, um dos criadores de Donald Trump, mestre na arte de orquestração de redes sociais, disse que a eleição brasileira de 2022 será “a mais importante de todos os tempos na América do Sul”. Nela, “Jair Bolsonaro enfrentará Lula, o esquerdista mais perigoso do mundo. Um criminoso e comunista”.

Bannon disse que Bolsonaro vai ganhar, a não ser que a eleição  seja roubada pelas, adivinhem só: as máquinas.

OUTRO VISITANTE – Semanas depois veio a Pindorama outro visitante: Jason Miller, ex-porta-voz de Trump, com o propósito de alavancar a sua rede Gettr. O doutor passou pelo Brasil, foi ouvido pela Polícia Federal e voltou para casa.

Estima-se que 15%, 25% ou 50% dos usuários dessa rede sejam brasileiros. Portanto, ninguém sabe quantos brasileiros usam a Gettr. Com certeza, lá estão Jair, Flávio e Eduardo Bolsonaro.

Quem não está nessa é o governo de Joe Biden.

RECORDAR É VIVER – No dia 30 de julho de 1962, quando o presidente americano John Kennedy instalou o sistema de grampo no Salão Oval da Casa Branca, ele se reuniu com Lincoln Gordon, seu embaixador no Brasil.

A certa altura, Gordon mencionou a importância da eleição brasileira daquele ano e propôs que se jogasse algum dinheiro na campanha.

A cifra foi mencionada, mas ainda está embargada. Um biógrafo de Gordon diz que foram US$ 5 milhões (cerca de US$ 45 milhões em dinheiro de hoje).

INSTITUTO IBADE – O ervanário foi canalizado para diversas instituições. A mais famosa chamava-se Instituto Brasileiro de Ação Democrática. Seu cabeça era o publicitário Ivan Hasslocher, dono de uma pequena agência. Ele irrigou o que hoje se chama de “mídia tradicional”.

A operação deu em CPI, mas Hasslocher saiu da cena. Morou na Suíça, andou pela Indonésia e, em 1992, aos 72 anos, vivia em Londres. No inverno, mudava-se para sua casa no Texas, onde morreu em 2000.

CAMINHO DAS PEDRAS – Tudo indica que os processos capazes de tornar Bolsonaro inelegível ou mesmo resultar na cassação da sua chapa com o general Hamilton Mourão terão pouco futuro.

A solução traumática, se vier, virá pelo impedimento cuja tramitação se dá no Congresso.

Ficam sobre as mesas os processos que envolvem filhos do capitão 00.

19 thoughts on “Bannon, ex-marqueteiro de Trump, trata Lula como ‘o esquerdista mais perigoso do mundo’

    • Eis algo sobre o assessor de Trump:

      “Foi acusado de fraudar doadores que contribuiram para a campanha ‘We Build the Wall’ que seria para construir o muro entre USA e Mexico. O cara é acusado de ter embolsado $1 million para cobrir despesas pessoais”. Foi perdoado pelo Trump.
      Ele deve estar faturando com assessoria á campanha para reeleição do Bolsonaro.

  1. Por falar em esquerdista-comunista-socialista-progressista-piçolista-petista-fernandista-lulista..
    Vejam que interessante esse bandido e de qual partido pertence.
    O Partidão da Ètica, Moral e dos Bons costumes, dia sim e outro também é grande frequentador das páginas policiais.
    E ainda tem quem defenda o Quadrilhao do FHCorrupto…,ops, errei, Don FHcorleone…
    Eles “atacam” tudo o que vê pela frentes, não interessa se é Merenda de Crianças, ou Verbas que vão para a Saúde, metem a mão mesmo, sem qualquer tipo de ressentimento com quem vai sofrer pela frente, idosos, mulheres, crianças,
    O negócio é roubar.

    Prefeito do Guarujá é preso pela PF por suposto desvio de verba na Saúde…

    https://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2021/09/15/prefeito-e-preso-e-levado-em-camburao-pela-pf-durante-operacao-em-guaruja.htm?cmpid=copiaecola

  2. Entonces esse “Ervanário” que pintou no pedaço foi o seu equivalente ao “Ouro de Moscou”.
    Chumbo trocado não dói.
    Vários ervanários já foram verificados na terra de Macunaíma, tem um que irrigou um tal El Raton.
    Outros irrigaram mensaleiros e petroleiros, correieiros e fundeiros, só que alguma coisa de ervas foram devolvidas ao erário.
    O tal Biden cara de Lombriga Albina é mestre em evacuação, evacuou parcialmente tropas, e bens caríssimos foram abandonados para o Taliban
    Gasparinianamente a caravana vai passando e o general Mourão vai andando e evacuando pra ele.

      • Fanáticos pela verdade.

        Os esquerdistas que vivem de mentiras e/ou distorção da verdade; odeiam quem discute ideias, pois essas (ideias) sempre levam á verdade.

        Por isso os esquerdistas classificam quem defende a liberdade de opinião, de “fanáticos”. Logico, que sempre acompanhado de um pejorativo (xingamento).

        • Rebate os argumentos e deixe de tergiversar nesse caminho manjado de esquerda. Típico da falta de conhecimento.
          Você precisa ler e estudar mais. Só isso.

        • Esse é o segundo mandamento esquerdista :”acuse os outros daquilo que você é”.

          O cara fez um xingamento :”Tu é um fanático idiota.”

          Como eu poderia rebater com argumento ?
          Ai, quando eu faço um comentário (respondendo ao xingamento); você tergiversa, dizendo que sou eu que tergiverso.

  3. Esse marqueteiro Steave Bannon, marqueteiro perigoso, participou de uma trama, com a empresa Analytica, para disseminar Fakenews em massa para eleger Donald Trump.
    São mestres na arte de persuadir, mentir, manipular e interferir na vontade do eleitor.
    Tipos como esse Bannon, são uma ameaça aos regimes democráticos. Ele é tão tosco e mal intencionado, que o próprio Donald Trump o demitiu do cargo de assessor da casa Branca. O cara é insuportável, até para o Trump.
    Agora ele está assessorando políticos aqui do Brasil. Seu negócio é mentir, ganhar muito dinheiro manipulando pessoas e governos e alienar as pessoas que o procuram.
    Bannon é uma cobra, pronto a dar um golpe naqueles que o procuram.
    É uma pena perder tempo com esse personagem das trevas.

    • Esse sem duvida é o mandamento numero um dos esquerdistas: Censurar a liberdade, para controlar a informação.

      O comentaristas, nesse caso vai corroendo a liberdade pelas beiradas; ele não defende a censura descaradamente; ele, apenas distorce a verdade para dizer que eu (povo) preciso que um esquerdista me proteja dessas informações falsas, pois eu (povo) não tenho condição de decidir sozinho.

  4. JHomer. esse é o máximo que você consegue? Tem um ditado que diz, de onde não se espera é que não sai nada mesmo. Você conhece o termo auto crítica?
    Suas ofensa pessoais vai no vácuo de sua irrelevância.

  5. Como dizia Darcy Ribeiro

    “O PT é a esquerda que a direita gosta”.

    Maneira irônica de dizer que o lullupetismo NÃO TEM NADA DE esquerda.

    (Quem tiver interesse pode conferir abaixo entrevista de Brizola de 27.02.1994, à Folha de S. Paulo)

    • “COMO A DIREITA GOSTA”
      Leonel Brizola, domingo, 27/02/1994, Folha

      Há tempos, nesta Folha, procurei analisar onde estavam, em nosso país, direita e esquerda –estes conceitos que, apesar das afetações dos intelectuais neoliberais, continuam dividindo as águas da vida política.

      Restou-nos, naquela ocasião, expor as razões que nos levam a excluir o PT do campo da esquerda. Diga-se logo que não julgamos assim a maioria das bases, militantes e simpatizantes, mas as cúpulas dirigentes e aparelhos, responsáveis pelo que, de fato, representa o PT na política brasileira.

      Diz o professor Darcy Ribeiro que “o PT é a esquerda que a direita gosta”. Longe de ser um simples jogo de palavras, a afirmação de Darcy traz uma lógica flagrante para quem se disponha a observar o comportamento do conservadorismo e de sua poderosa mídia frente ao petismo, desde sua criação.

      Mas vamos aos fatos e às inequívocas conclusões. Ninguém pode negar o caráter autêntico, democrático e popular dos movimentos grevistas do ABC, dos quais surgiram Lula e alguns dos fundadores do PT. O ABC –como, dez anos antes, as greves de Osasco, lideradas por José Ibrahim– foi uma das mais importantes contestações à ditadura, cujos ideólogos, daqui e do exterior, como Golbery e outros, logo passaram a recolher preciosos ensinamentos.

      Desde aqueles primeiros momentos, formou-se uma espécie de redomoinho à volta dos sindicalistas. A eles juntaram-se intelectuais e grupos religiosos (a teologia da libertação) que, progressivamente, foram emprestando ao conjunto uma orientação elitista e pretensiosa, ao mesmo tempo em que revestiam de sofisticações a imagem do movimento e iniciavam o que seria um processo de tutela ideológica sobre aqueles trabalhadores. Tudo regado pela mídia e generosos patrocínios, daqui e do estrangeiro. Em plena ditadura, quando falar em Brizola, desterrado, dava censura ou cadeia, Lula era capa de revista…
      Nós, que voltávamos do exílio, víamos com esperança e admiração o que se passava no ABC. Para nós, a resistência dos trabalhadores e o surgimento de lideranças eram sinais de que o trabalhismo, este grande movimento popular e nacional contra o qual se fez 64, estava vivo nos sentimentos e na consciência de nosso povo.

      Nada poderia nos surpreender mais, portanto, que a atitude hostil e presunçosa com que passou a se comportar a cúpula do que viria a ser o PT. Renegavam as lutas sociais do passado (“populismo, pelegos do Ministério do Trabalho etc. etc.”), pretendendo que começasse ali e com eles o movimento das forças do trabalho no Brasil, como quem tenta cortar com uma tesoura o fio da história.

      A princípio, nossa reação foi de tolerância e compreensão. Imaturidade política, julgávamos, simples infantilismo… Em nossa boa-fé, ignorávamos as evidências de que o PT era um instrumento em processo de montagem, uma peça à qual o sistema destinara um papel na chamada abertura: o de impedir, pela divisão e pelo confusionismo, o ressurgimento do trabalhismo que, desde 64, quis extirpar da cena política e social. Como na manutenção, por parte do conservadorismo, da geléia geral do velho MDB e na usurpação da sigla PTB, todo estratagema valia para evitar que o povo trabalhador reencontrasse a força histórica e a coerência do trabalhismo.
      Assim, seguimos nós em nossa ingênua credulidade. Superamos incompreensões, sabotagens, arrogância e até ofensas pessoais, sempre com esperança de reunirmo-nos todos num grande movimento pela redenção de nosso povo, para derrubar o modelo econômico colonial que nos impuseram desde a 2ª Guerra, pela recuperação de nossa soberania, pelas reformas profundas que a nação precisa para voltar a sonhar com um futuro digno. Repetíamos, candidamente, que eram nossos primos-irmãos, de calças curtas, com suas tolices, mas, no fundo, membros de nossa família popular e socialista.
      Hoje, quem observa as contorções do PT entre suas origens históricas e sua ânsia de integrar-se e servir ao mundo das elites, vê um exemplo de como o tempo e o processo social dissolvem tudo o que não é intrinsecamente coerente. Basta notar como vacila o PT na defesa da escola pública e gratuita, na preservação do patrimônio público representado pelas empresas estatais estratégicas, o seu subalternismo frente à questão do monopólio dos meios de comunicação e tantas outras. Ou o que fez seu braço sindical, a CUT, destruindo o sindicalismo brasileiro, hoje mais desprestigiado do que nunca.

      • Obrigado, Batista Filho, por trazer essa peça da reflexão política de Leonel Brizola a respeito do sindicalismo brasileiro no meio desta verdadeira briga de bugios, uns jogando cocó nos outros, foi uma lufada de ar puro.

  6. Bannon deveria ter sido preso quando esteve no Brasil.
    Espero que se pisar aqui novamente seja conduzido não para a delegacia, mas para um presídio.

  7. Piada do ano: “Lula é comunista” – segundo Bannon, ex-assessor do Trump que interferiu nas eleições do Brasil, como antes, o antecessor daquele, utilizou a NSA para espionar diversas autoridades do mundo e empresas, tendo no Brasil reunido e fabricado informações e compartilhadas com a direita que instrumentou e fez uso político da Lava-jato para preparar, formar o discurso anticorrupção, antipetista que usou e ainda se serve.

  8. Se brasileiros forem para o Titio Sam, e se meterem na política interna do titio Sam, serão deportados na hora.

    Agora gringo norteamericano vir aqui, e fazer a mesma coisa, eh recebido de braços abertos pelos viralatas brasileiros.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *