Carlos Artur Nuzman: “Fui esquecido e preterido”

Falei sobre o ego incomensurável, que palavra, do Parreira, do Nelson Jobim e do ministro Toffoli. Um amigo do homem que há 17 anos dirige (?) o COB (Comitê Olímpico Brasileiro) me disse que ele se sentiu atingido e até desprestigiado por não ter sido citado entre os três.

Peço totais e justificadas desculpas. Foi equívoco e esquecimento, mas não desapreço ou desconhecimento pelo tamanho do seu EGO. Para compensar, declaro: “O Ego de Nuzman é maior do que todos, tem que ser colocado na frente dos outros”. A “ordem dos fatores não altera o produto”, menos no caso do presidente do COB.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *