Daniel Silveira, preso novamente, cometeu ao menos 30 violações ao uso de tornozeleira

foi preso em flagrante na terça-feira por determinação do ministro do STF Alexandre de Moraes

Daniel Silveira fica novamente preso no Batalhão da PM

Cláudia Loureiro e Marco Antônio Martins
G1 Rio

O deputado federal Daniel Silveira, preso novamente nesta quinta-feira (24), no Rio de Janeiro, teve, ao menos, 30 violações ao uso de tornozeleira eletrônica, segundo apontou a Procuradoria-Geral da República. São elas: 4 relacionadas ao rompimento da cinta/lacre; 22 por falta de bateria; 5 referentes à área de inclusão (área onde ele estava autorizado a circular).

A informação da prisão foi antecipada pelo colunista Valdo Cruz, da GloboNews. Ele apurou ainda que o celular do deputado foi apreendido, mas ele se negou a dar a senha para os agentes.

MONITORAMENTO – “Conforme apontou a Procuradoria-Geral da República, os relatórios de monitoramento eletrônico de DANIEL SILVEIRA, notadamente no período de 5/4/2021 a 24/5/2021, apresentaram mais de 30 violações, relacionadas à carga do dispositivo de monitoramento, à área de inclusão, e ao rompimento da cinta/lacre”, cita a nova decisão do STF.

Silveira já havia sido preso em fevereiro por ataques aos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e desde março cumpria prisão domiciliar com medidas cautelares, entre elas, a obrigatoriedade de usar o equipamento.

Outra medida que imposta pelo STF e que também foi descumprida, por mais de uma vez e sem justificativa, era a visita regular à central para acompanhamento e manutenção do equipamento.

“JUSTIFICATIVAS” – O deputado, segundo a PGR, ainda tentou justificar algumas violações. “Da análise dos esclarecimentos que acompanharam os relatórios, nota-se que as razões apresentadas pelo requerido são no mínimo incompatíveis com as medidas estabelecidas. A prática de atividades físicas que ofereçam risco à integridade do equipamento é uma delas”.

Na quinta-feira, por volta das 16h, Daniel Silveira foi levado para o Instituto Médico Legal (IML), de acordo com a GloboNews. O deputado está preso novamente no Batalhão Especial Prisional da Polícia Militar do Rio, em Niterói, onde ficou da primeira vez que foi detido.

A defesa do deputado disse que Daniel Silveira é um “preso político”. “Seu caso já passou da hora de ser tratado nos organismos internacionais de defesa aos direitos humanos. Ele é um preso político e assim deve ser tratado”, diz a nota do advogado André Rios..

2 thoughts on “Daniel Silveira, preso novamente, cometeu ao menos 30 violações ao uso de tornozeleira

  1. A classe política no Brasil é, digamos, pouco elogiável.
    Mas o Rio de Janeiro tem conseguido escolher alguns dos menos “elogiáveis” .
    Flordeliz, Daniel Silveira, Carluxo B………

  2. Foram precisos 30 violações (e estão esquecendo do não pagamento da fiança também) para que fosse reestabelecida a prisão novamente…

    Em nenhum país desenvolvido precisaria de tanto…

    É comum no Brasil vermos policiais com dezenas de anotações disciplinares que não são expulsos…

    É comum no Brasil sujeitos com várias anotações e processos se arrastando até cometerem fatos de igual gravidade ou manica pior… até, finalmente, serem presos…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *