Deputado do PSOL entra com representação na PGR e pede que Pazuello responda por ação de improbidade

Validade dos exames expira entre dezembro e janeiro de 2021

Deu no Correio Braziliense

A informação de que 6,86 milhões de testes do tipo RT-PCR, para detectar coronavírus, estão perto de perder a validade provocou reações no Congresso. Nesta segunda-feira, dia 23, o deputado Ivan Valente (PSOL-SP) entrou com representação na Procuradoria-Geral da República pedindo abertura de ação de improbidade administrativa contra o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello.

O Estadão mostrou, em reportagem publicada no domingo, dia 22, que a validade desses exames – considerados “padrão ouro” para o diagnóstico da covid-19 e com preços que chegam a R$ 400 na rede privada – expira entre dezembro deste ano e janeiro de 2021. Aproximadamente 7,1 milhões de testes estão armazenados em um depósito do Ministério da Saúde, em Guarulhos (SP), e não foram enviados ao SUS nessa pandemia. Do total estocado, 96% (cerca de 6,86 milhões) perdem a validade até janeiro de 2021.

FALHAS –  As evidências de falhas de planejamento e logística ocorrem justamente no período de aumento dos casos de coronavírus no País. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) terá de autorizar eventual renovação da validade dos kits, mas o Ministério da Saúde ainda precisa provar que os testes continuam eficazes após o prazo de validade, de oito meses.

“Diante de conduta tão grave da perspectiva da gestão administrativa e da proteção da vida das pessoas, é imprescindível a atuação deste órgão para responsabilizar o Ministro de Estado da Saúde Eduardo Pazuello pela omissão em encaminhar a distribuição dos kits adquiridos pelo Governo Federal e prestes a serem jogados no lixo em razão do vencimento de sua validade”, escreveu Valente na representação à Procuradoria-Geral da República.

RESSARCIMENTO –  Ao acionar o Ministério Público Federal para apurar responsabilidades pela perda de 6,86 milhões de exames, o deputado também solicitou o “ressarcimento ao erário dos valores gastos com a aquisição e armazenamento dos referidos testes”. Para Valente, Pazuello deve responder a uma ação de improbidade “em razão de sua omissão e negligência na adoção de uma política de testagem em massa da população durante a pandemia de Covid-19”.

Na avaliação do presidente Jair Bolsonaro, quem deve explicações sobre os 6,86 milhões de testes “encalhados” são os governadores e prefeitos, e não o Executivo federal. “Todo o material foi enviado para Estados e municípios. Se algum Estado/município não utilizou deve apresentar seus motivos”, afirmou Bolsonaro pelas redes sociais, nesta segunda-feira, dia  23, a uma apoiadora que o questionou sobre o fato de testes estocados estarem próximos de ir para o lixo.

ESTOQUE – O Ministério da Saúde disse, por sua vez, que entrega os exames de acordo com a demanda de Estados e municípios. Afirmou, ainda, que não mediu esforços para compra de kits de testagem e investimentos em laboratórios. Em nota divulgada no domingo, porém, a pasta não revelou a quantidade do estoque que está perto de perder a validade.

A comissão da Câmara encarregada de acompanhar as ações do governo para combater a pandemia do coronavírus discutirá o assunto, nesta quarta-feira, dia 25, com autoridades do ministério e de conselhos de secretários municipais e estaduais de saúde. Presidente da comissão, o deputado Dr. Luizinho (PP-RJ), criticou o planejamento do governo federal para a entrega de testes.

“Tudo errado! Estimativa de compra errada, distribuição errada. Difícil de entender! Vamos chamar uma audiência pública para o ministério explicar esse absurdo e cobrar qual a estratégia a ser implementada”, disse ele ao Estadão, por meio de mensagem de texto. Nas redes sociais, o deputado também afirmou que “o País precisa de todos os esforços possíveis para não passar por uma segunda onda tão trágica quanto a primeira”.

9 thoughts on “Deputado do PSOL entra com representação na PGR e pede que Pazuello responda por ação de improbidade

  1. WOOOOOOOOOOOOOOW !!!!!!!!!!!!!

    7,1 milhões de testes prestes a vencer!

    Isso porque o Pazuello, general invertebrado e mulherzinha de malandro do Imbrochável, é um especialista em logística, hein?

    Diz aê, Pazuelo! Como é aquela história?

    “Um manda e o outro obedece”, né

    Mas cuidado! Se abaixar mais, as partes baixas ficam expostas! Não abre muito senão lhe caem os intestinos, viu?

    • Mulher De Malandro (Francisco Alves)

      “Mulher de malandro sabe ser
      Carinhosa de verdade
      Ela vive com tanto prazer
      Quanto mais apanha
      A ele tem amizade
      Longe dele tem saudade

      Mulher de malandro sabe ser
      Carinhosa de verdade
      Ela vive com tanto prazer
      Quanto mais apanha
      A ele tem amizade
      Longe dele tem saudade

      Ela briga com o malandro
      Enraivecida, manda ele andar
      Ele se aborrece e desaparece
      Ela sente saudade
      E vai procurar

      Mulher de malandro sabe ser
      Carinhosa de verdade
      Ela vive com tanto prazer
      Quanto mais apanha
      A ele tem amizade
      Longe dele tem saudade

      Muitas vezes
      Ela chora
      Mas não despreza o amor que tem
      Sempre apanhando e se lastimando
      E perto do malandro
      Se sente bem”

  2. Se o caso for assim, é sério! É muito dinheiro e muito material desperdiçado.
    Não sei se o ministro sabia, mas alguém do ministério é responsável!
    Se for “fake”, que seja responsabilizado o autor e os seguidores, entre eles os que denunciam e buscam a justiça.
    Perguntas que precisam ser respondidas:
    – quem comprou e quem aprovou?
    – quem pagou?
    – como ficou definida a quantidade a ser comprovada?
    – os estados solicitaram as quantidades?
    O presidente disse uma coisa e o ministério está dizendo outra? A obrigação da compra, pagamento, distribuição é do ministério!
    Vamos acompanhar desdobramentos.
    Fallavena

  3. TAÍ, mais uma prova daquilo que sempre digo por aqui, em nossos debates de anos a fio pela gloriosa Tribuna da Internet, sob o comando do decano, Carlos Newton, um dos papas do jornalismo brasuca, com algumas participações do decano maior Hélio Fernandes, uma lenda viva do nosso jornalismo mais combativo, que muito nos honrada, e alguns, bolsonarianos e cia, sempre dão jeitinho de tentar desqualificar as nossas colocações dando conta de que, gostem ou não gostem, os parlamentares do PSOL, homens e mulheres, não brincam em serviço, são sérios e implacáveis no exercício dos respectivos mandatos, avessos à corrupção e ao desperdício do dinheiro público, e até radicais mesmo contra malfeitos praticados no seio da administração pública, tanto é assim que, gestado na barriga do PT, nasceu como dissidência do PT, à moda filhos que não renegam os seus pais mas que deixam bem claro que só os copiam nas suas qualidades e que refutam os seu defeitos, e assim tem sido desde a formação do PSOL. E é ótimo que assim seja, e continue sendo, se reinventando, evoluindo, como propõe a RPL-PNBC-DD-ME, o projeto novo e alternativo de política e de nação, com Democracia Direta e Meritocracia, o novo caminho para o novo Brasil de verdade, porque evoluir é preciso, que vê na atuação séria dos e das parlamentares do PSOL, compatíveis com a meritocracia, o possível embrião dos novos tempos políticos que urge descortinarmos que só será possível com o estabelecimento de um novo padrão de atuação política, rigorosamente qualificada, capaz de fornecer à Administração Pública, União, Estados e Municípios, quadros, mão de obra qualificada, para que possamos enfrentar a contento, e vencer, as grandes demandas nacionais e internacionais impostas pelos novos tempos, sob pena permanecermos à margem de tudo e a, à moda colônia eterna, à reboque do mundo civilizado, à mercê dos irmãos mais velhos norte-americanos, russos, chineses e afin$ que não brincam em serviço, não tem bandidos de estimação, não compactuam com malfeitos, não se entregam a vaidades e nem dão sopa para o azar. Portanto, “data venia”, verdade seja dita, justiça seja feita, o PSOL ainda é um dos poucos partidos, que ainda tem autoridade moral para nos pedir votos. E em São Paulo, tendo em vista as eleições de 2020, para prefeito, com os candidatos Guilherme Boulos e Luiza Erundina, temos dois bons exemplos de políticos do PSOL, Boulos começando e Luiza Erundina, de vasta experiência, talvez já no apagar da luzes da sua carreira política, exemplar, contra a qual não existe sequer uma só pecha política, a não ser as reclamações de alguns lulistas tachando-a de intransigente, radical contra os malfeitos de alguns petistas equivocados que acabaram se perdendo no exercícios dos seus respectivos mandatos, no que ela faz por merecer os nosso aplausos, de modo que ninguém pode negar que Boulos, cria de movimentos sociais, está sendo batizado por uma excelente Madrinha, a exemplar Luiza Erundina, daí a possibilidade de estar surgindo em São Paulo o possível melhor prefeito da sua história paulistana, contra o qual é de bom alvitre que, nas críticas desnecessárias, por ora, não se radicalize e nem se carregue demais nas tintas, tendo em vista inclusive a imperiosa necessidade de renovação de quadros políticos primando-se pela qualidade e pela meritocracia, valendo lembrar que Boulos já descartou, enfaticamente, a possibilidade de ser candidato a presidente da república outra vez em 2022, deixando assim o caminho aberto e livre para a possível grande transformação do Brasil, pelo Projeto Novo e Alternativo de Política e de Nação, o novo caminho para o novo Brasil de verdade, porque evoluir é preciso, que pode estar começando por São Paulo, em limpas e boas mãos, com Boulos Prefeito e Luiza Erundina Vice. Fé em Deus, Fé na Vida, Fé no HoMeM, Fé no que Virá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *