Discurso de Bolsonaro sobre “verdades” do Brasil abre esta terça-feira a Assembleia da ONU

 (crédito: Alan Santos/PR)

Boris Johnson sugeriu que Jair Bolsonaro tome a vacina…

Ingrid Soares
Correio Braziliense

O presidente Jair Bolsonaro ironizou nesta segunda-feira (20/9) em Nova York que seu discurso na Assembleia-Geral da ONU que ocorrerá amanhã “será em braile”, em referência ao sistema de escrita e impressão destinado a pessoas com deficiência visual. A fala do chefe do Executivo é vista como uma provocação em alusão aqueles que ‘não querem ver a verdade’. A declaração foi dada a jornalistas na saída do restaurante do hotel em que a comitiva brasileira está hospedada. A comitiva entrou pelos fundos, porque na frente havia uma manifestação contra Bolsonaro.

No último dia 17, em viagem a Arinos (MG), o presidente disse que a fala na ONU se basearia em “verdades”: “Podem ter certeza, lá teremos verdades, lá teremos realidade sobre o que é o nosso Brasil e sobre o que nós representamos verdadeiramente para o mundo”, apontou na data.

PIZZA NA RUA – Com as rígidas restrições em locais públicos de Nova York por causa da pandemia de covid-19, o presidente e seus ministros tiveram a primeira refeição em solo americano no meio da rua. Em imagem publicada pelo ministro do Turismo, Gilson Machado, ele aparece ao lado de Bolsonaro comendo pizza em uma calçada. Com eles estão o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga; da Justiça, Anderson Torres; da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos; e o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães. 

Para driblar a exigência de vacinas em restaurantes de Nova York, a churrascaria brasileira Fogo de Chão armou uma espécie de puxadinho externo, com mesas ao ar livre cercadas por tapumes pretos para o presidente Jair Bolsonaro, que não está oficialmente vacinado.

Ao fim do almoço houve uma salva de palmas em homenagem ao lutador de jiu jitsu Henzo Gracie, que acompanhou o presidente Bolsonaro por uma caminhada de cerca de 7 quadras até o hotel onde ele está hospedado. No caminho, o presidente ouviu ao menos um grito de “assassino”, de uma brasileira que o reconheceu.

COM JOHNSON – Bolsonaro se reuniu no começo da tarde com o primeiro ministro do Reino Unido, Boris Johnson no Consulado-Geral do Reino Unido. A principal pauta foi o meio ambiente.

Às 20h, a previsão é de que ele participe de uma recepção em homenagem a ele na Residência da Missão do Brasil junto às Nações Unidas. Já o discurso na abertura na Assembleia Geral que ocorre amanhã, está marcado para as 10h, no horário de Brasília.

Johnson recomendou a vacina da AstraZeneca/Oxford, que é produzida também no Brasil em parceria com a Fiocruz. “É uma ótima vacina. Obrigado, pessoal. Tomem vacinas da AstraZeneca!”, diz ele, ao lado de Bolsonaro, que é o único líder entre as maiores economias do mundo que declaradamente não tomou o imunizante.

9 thoughts on “Discurso de Bolsonaro sobre “verdades” do Brasil abre esta terça-feira a Assembleia da ONU

  1. Parece que alguém não entendeu o encontro. Boris Johnson NÃO sugeriu que Jair Bolsonaro tome a vacina. Ele apenas destacou que tomou as doses de determinada vacina. Para certos tipos da imprensa tradicional o vale tudo é que interessa, depois acusam o presidente de mentir. É preciso aceitar que 90% atacam o governo e a popularidade real cresce assustadoramente, apontando uma vitória em primeiro turno. Vitória real, tranquila, que as ruas mostram a todo momento. Lutar contra isso é voltar às eleições passadas quando quase todos publicavam que não haveria a mínima chance de Bolsonaro ser eleito. O que aconteceu? Ah, não sabem…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *