Estratégia de Gilmar Mendes para destruir Sérgio Moro e a Lava Jato é de extrema competência

TRIBUNA DA INTERNET | Gilmar Mendes está isolado no Supremo e o boicote à Lava Jato é um fracasso

Charge do Clayton (O Povo/CE)

Carlos Newton

É preciso reconhecer que o ministro Gilmar Mendes é um dos mais competentes que já integraram o Supremo Tribunal Federal. Não há nenhuma dúvida acerca de sua capacidade. O problema é a falta de caráter, o partidarismo exacerbado quando se trata de julgar tucanos e a parcialidade com que adere a determinadas causas do interesse de governantes, políticos e empresários corruptos.

Para fortalecer seu voto no processo que relata sobre a suposta parcialidade do juiz Sérgio Moro contra o réu Lula da Silva, o ministro Gilmar Mendes está esperando que o pessoal do marketing faça o trabalho sujo, divulgando como se fossem novidades as mensagens gravadas por hackers, que foram contratados para fazê-lo, mas a Justiça não identifica os mandantes.

As gravações foram massivamente divulgadas em março de 2019 pelo site The Intercept, pela Folha de S. Paulo e pela Veja, com cobertura de toda a mídia brasileira.

Na época, apesar do escândalo que se tentou armar, o resultado foi nulo, porque em nenhum trecho das centenas de horas de gravação ficou evidenciado que o juiz Sérgio Moro tivesse participado de conluio para condenar Lula injustamente.

ANULAÇÃO IMPOSSSÍVEL – Nas gravações, além da imaturidade demonstrada por alguns procuradores, a única ilegalidade foi um erro cometido por uma delegada federal, mas não foi grave a ponto de anular a condenação do político que comandou o maior esquema de corrupção do mundo.

A estratégia traçada por Gilmar Mendes e pelos advogados de Lula já vem sendo executada há vários meses. Consiste em ir “plantando” reportagens e artigos em jornais, revistas, portais, sites e blogs, em que trechos dos diálogos são republicados como novidades, enquanto Gilmar Mendes faz o ponteio, com declarações de que a parcialidade de Moro “causa pena” e até  compara a Lava Jato ao Esquadrão da Morte, vejam a que ponto chega a desfaçatez do ministro, que não respeita o impedimento de entrevistas sobre questão que relata, e vai logo dizendo que os processos de Lula podem ser anulados.

“Todos nós de alguma forma sofremos uma manipulação disso que operava em Curitiba. Acho que temos que fazer as correções devidas, tenho dito e enfatizado que Lula é digno de um julgamento justo”, afirmou.

ESQUADRÃO DA MORTE – “Independentemente disso, temos que fazer consertos, reparos, para que isso não mais se repita, não se monte mais esse tipo de esquadrão da morte. Porque o que se instalou em Curitiba era um grupo de esquadrão da morte, totalmente fora dos parâmetros legais”, disse Gilmar Mendes, com se Lula fosse um político ilibado e Moro um juiz corrupto.

As declarações de Gilmar ocorreram dias após a Segunda Turma do Supremo, a qual faz parte, validar por quatro votos a um a liminar do ministro Ricardo Lewandowski que concedeu à defesa do ex-presidente Lula acesso às mensagens hackeadas do ex-coordenador da Lava Jato Deltan Dallagnol, do ex-juiz Sérgio Moro e dos demais integrantes da força-tarefa.

“Já é possível depreender o funcionamento de uma certa combinação institucionalizada e permanente, a serem verdadeiras as mensagens, entre o juiz e os ex-membros da força tarefa da Operação Lava Jato. Isso tudo ressai dessas mensagens. Os fatos são tão graves que estão repercutindo mundo afora”, disse Gilmar Mendes no julgamento, ao apoiar Lewandowski.

TUDO DOMINADO – Em tradução simultânea, antes mesmo da sessão da Segunda Turma do STF, Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski já julgaram e condenaram o então juiz Sérgio Moro. Só não marcaram a data, porque ainda têm dúvidas sobre o posicionamento do neoministro Nunes Marques que pode destruir a armação. Se Nunes Marques faltar ou alegar suspeição, Moro será considerado juiz parcial.

O fato concreto é que Lula está confiante e mudou de ideia. Na certeza de que sua condenação será anulada, Lula decidiu afastar Fernando Haddad e acaba de anunciar sua própria candidatura em 2022.

###
P.S.
Tudo isso mostra a enorme competência de Gilmar Mendes, que sabe realmente manipular situações. É pena que ele sempre esteja do lado errado e se esqueça de defender o interesse público. (C.N.)

31 thoughts on “Estratégia de Gilmar Mendes para destruir Sérgio Moro e a Lava Jato é de extrema competência

  1. CN bom dia,

    É com pesar que leio o seu artigo hoje, que são sempre muito bons. Só de pensar que Lula da Silva possa voltar à presidência, já me dá asco, e se isso acontecer, voltam José Dirceu, Delubio, e toda essa gentalha com ele. O que o Luiz Fux pode fazer a respeito? Será que ele não está vendo essa armação? Se isso se concretizar, o Brasil vai mesmo pro buraco de vez, e vai ficar mal na foto pra sempre. Deus nos proteja!!!
    abs amigão

    • Gilmar Mendes é uma vergonha, verdadeiro representante da corrupção e do atraso do país. Deveria sofrer impeachment, julgado e condenado a prisão perpétua se este fosse um país sério. Tudo com base no devido processo legal é claro.

    • Álvaro, pode ficar tranquilo, que essa possibilidade inexiste no horizonte pátrio.
      O que você devia temer, com minhas escusas, é o que está acontecendo agora. Estamos no limiar, no fio da navalha, da quebra do regime democrático. Só não vê, quem não quer. Mas, sou otimista e oro para todos os santos diariamente, para afastar esse mal das nossas vidas.

    • Amigo Alvaro Cavacanti, eu disse apenas que a estratégia de Gilmar Mendes é brilhante. Não falei que vai dar certo. Por isso ele está demorando tanto a colocar em pauta. Vou voltar ao assunto. Gilmar ainda não ganhou essa loteria.

      Abs.

      CN

  2. Gilmar Mendes realmente é um juiz incoerente que muda de opinião, conforme conveniências. Mas a maioria dos membros do STF mantém a coerência, mesmo que em alguns casos, contrariando ou manobrando mentalmente para dar uma interpretação pessoal a CF, conforme suas convicções pessoais (legislando nesse caso).

    Negar que o então juiz e alguns procuradores de Curitiba agiram de forma a extrapolar os limites de suas funções legais, conforme demonstrado pelos diálogos expostos é admitir que para fazer justiça, os meios justificam os fins. Sinto muito, mas não posso concordar com essa tese.

    Quanto à Lula já passou e não sabe ou finge ignorar. Somente os ceguidores ainda acreditam nele.

  3. Crá.
    Fiquei afastado um pouco deste país na minha fase de ir e vir, e vejo que piorou.
    Moro está sendo imolado, enquanto os verdadeiros bandidos renascem para se instalar no poder de novo.
    Se há um capo, um chefe desse bando de corruptos e ladrões, sabe-se que o seu nome é Gilmar Mendes.
    O Brasil não serve mais para se viver, menos ainda para voar.
    Crá.

  4. CN não se cansa em distorcer a verdade. Mas a verdade é teimosa e sempre aparece. E como não enxerga ou não quer enxergar, desmerece quem lhe mostre a verdade.
    Exatamente como eram os artigos de H Fernandes seu precursor.

  5. Sobre o ministro Gilmar, não tenho nenhum contraditório, no entanto, Data Vênia, me desculpe por discordar veemetenente do Editor, pelo qual débito o maior apreço e consideração, no tocante a Lava Jato.
    Pelo que tenho lido, das conversas vazadas, da operação, são diálogos estarrecedores, envolvendo Dallaganol, juízes, desembargadores. Falem o que quiserem, mas, colocar uma venda nos olhos para tudo isso que aconteceu e até agora os envolvidos negam, sinceramente nada justifica passar por cima da Lei, da Ética, simplesmente para punir A ou B.
    As vezes, penso até em parar de escrever, tal a minha indignação com tudo isso.
    Não esperava, perceber a maldade incrustada na sociedade, principalmente da Classe A, aquela que deveria dar o exemplo, para as futuras gerações. Os jovens, não podem se espelhar nesses homens, que só pensam em enriquecer.
    Muito triste.

    • Uma coisa que deve ser muito difícil para o eleitor do Bolsonaro lidar é a covardia dele. Porque os problemas do país você pode culpar todo mundo.

      Mas a covardia do mito não. Essa é na conta dele mesmo. Ele é covarde.

      Ele volta atrás na decisão. Ele esconde carteira de vacinação. Ele apaga fotos indicando cloroquina. Ele diz que “nunca falei isso” quando tem vídeo mostrando que falou. Ele se esconde atrás de notícias falsas.

      Capitão? Porra nenhuma. É um covarde usando farda. Sempre foi frouxo
      “Porque o cidadão de bem precisa andar armado”

      A única vez que foi assaltado entregou a arma e a moto. Sim, eu teria entregado tudo, mas não fico fazendo arminha com a mão que nem um idiota.

      Se bater o pé, ele corre pra dentro de casa e dá chilique. Frouxo.

      Aliás, Bolsonaro é aquele cara que bate, bate, bate, bate. Mas não bate muito porque é valente e sim porque é queixo de vidro e sabe disso. Se tomar uma paulada, deita.
      Por isso que ele é frouxo.

      E você, gado, pode continuar gritando mito, capitão, super-herói, o que for. Pode continuar culpando todo mundo. Pode culpar quem você quiser.

      NADA vai mudar que você admira um covarde. Você, apoiador do frouxo, que lide com isso.

      Ah, esqueci de falar, ele foge de entrevista. Se fosse corajoso, dava entrevista fazendo questão de ser ao vivo, pra ninguém editar o que ele falou. Mas não é medo de distorcerem o que ele falou, isso é desculpa dele. Ele tem medo de ser confrontado. Frouxo.

      E não venham falar de “ain, ele deu entrevista pro Ratinho, ou no programa X”.
      Isso não é entrevista, é quase uma colaboração. Quero ver sentar a bunda num programa sério e não começar a chorar no primeiro bloco.

  6. Os estarrecimentos com referência aos diálogos entre Moro e procuradores obtidos de maneira criminosa, porém utilizados com o objetivo precípuo de acabar com a maior operação que o Brasil se deparou contra a corrupção desde o seu descobrimento, a mim causam surpresas.
    Desconsiderar o que é o Congresso, sinônimo de ladrões e corrupção;
    Não levar em conta as tramoias do Executivo com o parlamento, de modo que seus projetos sejam aprovados;
    Muito menos deixar de analisar a gravidade das decisões egressas do STF, em benefício de bandidos que roubaram a nação e o povo, mas enaltecer os erros cometidos pela Lava Jato como passíveis de desencanto, há um certo exagero e grave falta do senso de medidas.
    Percebo que se está dando mais valor ao corpo que à sua saúde.
    A justiça sem saúde, ou seja, sem punir quem errou, mas condenar quem processou, julgou e condenou os meliantes, trata-se de uma decisão judicial que inverte a verdade dos fatos, e se dá ao povo versões absolutamente elaboradas com o intuito de prejudicar aqueles profissionais que lutaram para combater a instituição de crimes nos poderes constituídos..
    A minha perplexidade é com os comentários que colocam Moro e procuradores como réus, porém com relação aos ladrões e genocidas a pecha de inocentes, perseguidos e injustiçados.
    País bizarro esse Brasil e suas autoridades, que defendem o crime e caluniam, mentem e difamam, os que são honestos.
    Tenho de me precaver:
    Enquanto eu estiver nessa terra terei de voar de costas.
    Cráaaaaaaaa.

    • Todos os agentes do Estado devem respeitar o Devido Processo Legal.
      Um erro não pode servir de justificativa para outro erro.
      Quem erra deve ser punido na medida do seu erro. Estão tipificadas as penas no Código Penal.
      Concordar com a sanha punitiva, as margens da Lei, daqui a pouco abre- se as portas para aventureiros de todos os matizes, empalmar as estruturas militares e fechar o país. Aí, salve -se, quem puder.
      Quem sofreu nas Ditaduras do Estado Novo e na Redentora de 1964 a 1985, sabe muito bem, aonde o calo vai apertar.

      • Humano, você não pode se descuidar da sua defesa, pois se percebe nitidamente que prefere a impunidade a supostos erros da Justiça em punir quem nos lesa e prejudica.
        Se o senhor exige um poder judiciário absolutamente imparcial, íntegro, honesto, então deve solicitar e se empenhar em mudar o processo de nomeação dos ministros do STF.
        Enquanto os presidentes tiverem este poder de escolher quem desejam colocar no Supremo, em consequência, os abonados sempre terão dívidas de gratidão e decisões que beneficiem o mandatário e seu partido político, torna-se sem efeito a sua observação.
        Um erro não justifica o outro, é verdade mas, o erro na sua avaliação reside em mensurar as supostas irregularidades cometidas durante a Lava Jato, comparando-as com os crimes retumbantes que foram descobertos por esta operação.
        Há uma escancarada inversão de valores no que o senhor afirma:
        Mais vale a impunidade, que um erro ou irregularidade cometida para punir os ladrões e corruptos.
        Convenhamos, o senhor estabelece a obediência sagrada às leis, no entanto, admite que os julgadores sejam tendenciosos, políticos e agradecidos aos seus respectivos padrinhos.
        Crá (que difícil os humanos compreenderem o que é o erro, e o significado, efeitos e repercussão de crimes).

          • Muito menos do ser humano, senhor, pois a espécie age através de sentimentos e, invariavelmente, contaminados pelos defeitos típicos e exclusivos do ser humano.
            O senhor se engana comigo, pois o comportamento dos corvos é lógico, sem qualquer outra condição que possa afetar a nossa natureza.
            O homem, por sua vez, nunca irá conseguir viver racional ou sentimentalmente, pois sempre suas decisões devem primeiro atender seus interesses e conveniências, para depois estender suas soluções ou ações às demais pessoas.
            Por exemplo, o amor é exclusivo da espécie humana. No entanto, os senhores o distorceram de tal forma, que inventaram a definição que tanto o amor quanto o ódio vivem próximos um do outro. Assim, ora agem com ira e não com amor, ora agem com amor, enquanto deveriam ser mais racionais.
            Caso da Lava Jato, onde os sentimentos pessoais perduram sobre a razão, acusando quem deveria ser elogiado, e tecendo loas a quem deveria ser severamente criticado.
            O humano é muito confuso, enigmático, e não consegue distinguir o certo do errado.
            Crá, crá (e acreditam nas suas ilusões como se verdades fossem).

          • As leis devem ser seguidas, especialmente pelos membros do judiciário. Ao contrário, qual a diferença entre que comete crime e aqueles que agem à margem da lei para punir os criminosos? Isso não é comparar a gravidade dos crimes cometidos. É apenas o desejo de que o justiceirismo não reine. Isso é um pensamento racional, mas claro, exclusivo de alguns humanos.

            Julgadores não devem ser tendenciosos. Devem julgar imparcialmente (conceder o mesmo direito à defesa e à acusação) e sem paixões.

          • Humano, o senhor escreveu o que seria um Judiciário ideal, isento, imparcial.
            Lembro que não é característica da humanidade ser infalível, pelo contrário, o caminho trilhado pelos homens ao longo de 4 milhões de anos atesta erros graves de comportamento e decisões injustas.
            Sendo assim, o seu desejo no último parágrafo do comentário de sua autoria demonstra uma contradição de conceitos, onde o judiciário não pode errar, mas aceita que parte deste poder cometa crimes imperdoáveis para penalizar o juiz que, na interpretação dos ministros do STF, agiu dessa forma contra aqueles que foram alvos da justiça no Paraná, porém utilizando meios absolutamente ilícitos obtidos!
            Se um erro não justifica o outro, conforme suas palavras em outro texto, encontro dificuldades intransponíveis para aceitar que Moro tenha agido ilegalmente, porém acusado por ministros que estão, igualmente, se comportando à margem da lei.
            Entendo essa dificuldade dos humanos em não alcançar o significado de justiça, fundamentando-se em leis, e como se tais normas a justiça fosse feita.
            Se Moro errou, que seja punido, mediante a sua vontade e desejo, senhor.
            Entretanto, se os ministros do Supremo estão cometendo erros até mais graves que o juiz, é essa tendenciosidade e parcialidade contra a Lava Jato que eu, olhando de cima, constato.
            Não existem moral e ética nos magistrados que aproveitam “provas” ilícitas para – nesse caso específico -, imaginarem que farão justiça.
            Muito menos os humanos me dizerem que nós, os corvos, desconhecemos o pensamento racional, que é verdade, evidente, porém a discussão não está entre quem tem ou não razão, mas tem como conduta a incoerência e a irracionalidade, exatamente como agem os contrários às sentenças de Moro e confirmadas em instâncias superiores, e que aprovam meios delituosos para punir quem agiu supostamente de maneira ilícita.
            Crá (o ser humano desconhece o que significa Justiça, recorrendo a sofismas e raciocínios alheios à essência de um judiciário justo, e sendo escravos de leis elaboradas justamente por aqueles que mais crimes cometem, os parlamentares).

        • Corvo, o Judiciário não se resume aos nomeados pelo Presidente da República. Aliás, que passa por sabatina no Senado. Não fosse assim, seria como(??) Na França são também indicados. Porém por mais pessoas. Incluído o Presidente da casa Legislativa.

          • Não sei se o senhor é humano ou um felino predador, apesar da sua realeza entre os animais selvagens.
            Talvez seja a razão de seu raciocínio ser obtuso.
            Se o presidente desta nação tem o poder de escolher os ministros dos tribunais superiores, em sua organização judiciária – a sabatina feita pelo senado é um teatro com roteiro estipulado -, lembro ao senhor humano ou felino que são esses tribunais que terão a última palavra em termos de justiça.
            Convenhamos, ultimamente essa justiça egressa dessas cortes superiores tem deixado a desejar.
            A solução que nós, os corvos, constatamos como a melhor, seria o poder judiciário ter o seu plano de carreira, onde somente ascenderia a tais cortes os juízes concursados, e que tenham passado pela primeira instância, desembargador e, conforme sua ficha profissional, atingir a função máxima de um magistrado, de ter a última palavra sobre Justiça.
            Crá, crá (tão fácil de ser compreendido, entretanto tão difícil para os humanos mas, principalmente, para os felinos predadores entenderem essa questão).

          • Pois é senhor humano ou felino ou humano/felino, se assim é a sua conclusão, lamento pela falta de coerência e lógica.
            Considerando que a Lava Jato tenha praticado irregularidades e também ilegalidades, o senhor não estenderia a sua interpretação para o Supremo, que se aproveita de material obtido criminosamente para julgar o juiz que agiu irregular e ilegalmente?
            Cré (não acredito que seja essa a justiça dos humanos atualmente).

  7. A húbris ou hybris (em grego ὕϐρις, “hýbris”) é um conceito grego que pode ser traduzido como “tudo que passa da medida; descomedimento”… que eu, do alto de minha arrogância, prefiro traduzir, à moda sertaneja, como “imbição”. Flávio Bolsó é sem limites. A compra dessa mansão, em plena crise geral, é o “skandalon”, algo intransponível, pior tivesse matado o pai. Outra vítima do descomedimento foi o nosso Moro. Estivesse lá na varinha dele, o país seria outro. Dr. Gilmar, sei não não: qual é o limite?

  8. Carlos Newton não lhe pareceu estranho Moro no ministério da justiça de Bolsonaro e o seu atual emprego além das revelações do Intercept que expõe seus atos no processo.Carlos goste ou não prisão so com o transito e julgado isso esta na CF como causa pétrea.

  9. Gilmar Mendes foi nomeado para o STF pelo beato e inventor da reeleição para presidente da República FHC.

    O que se percebe é que, após a mudança da capital para longe do povo, sempre vem piorando a qualidade dos políticos.

    Aqui na Terra dos Papagaios é usual corruptos de carteirinha nomearem ministros do STF.

    • Muito bem colocado Sr. Celso.
      É exatamente esta a situação atual, infelizmente…
      A escória nomeando juízes para o STF !!!
      Inacreditável !
      Só podia dar em merda mesmo.
      Como já deu e vem dando…
      Credo !

  10. O Putin manda matar com veneno e substância radioativas como o polônio, conforme os britânicos.
    Nós, aqui na terra amada, temos esse noz de moscada chamado Gilmar – ele nos mata de uma morte temperada e a fogo brando.

  11. Lula é a menor das preocupações deste facínora. No início, ele apoiou a operação; passou a odiá-la quando percebeu que os barões do tucanato estavam sendo arrastados para o olho do furacão. Ele finge defender o Lularápio, para usar a máquina de propaganda petralha a favor dos tucanalhas. O STF (supremo tribunal de facínoras) precisa ser desratizado, com urgência.

  12. Não importa o quanto o caro Newton eleve o tom das palavras em defesa da Lava Jato.
    O fato é que as ações da Força Tarefa se desviaram – e muito – da lei.
    É sabido que o princípio da legalidade administrativa determina que ao agente público somente cabe aquele comportamento traçado pela lei. Difere da legalidade dirigida ao particular, que pode tudo que a lei não proíba.

  13. E assim caminha nossa pátria, com os gilmares, os luizes Inácio, os dirceus, as dilmas e outros malfeitores, uns nomeados por aqueles que enganam o povo brasileiro e os que enganaram salvos pelos nomeados.
    Além de não terem inteligência para tratar da coisa pública através da política, são ávidos patrimonialistas, basta ver a fortuna de cada um.
    O Luiz Inácio chegou ao ponto de carregar consigo 11 caminhões abarrotadas de coisas que não lhe pertencia quando.
    Como inquilino do Planalto deveria sair com as mesmas coisas que entrou, ou seja, nada.
    O pior de tudo isso é que o certinho ainda foi absolvido no processo que sabe lá como transcorreu.
    Isso são as pessoas que entram para vda publica se dizendo “políticos”, e mal sabem que política é uma ciência por demais complexa para ser entendida pelos que não gostam de estudar, e muito menos, trabalhar.
    Vejam que estes personagens estão aí na mídia durante anos e anos, e não apresentam nenhuma idéia original, nada de projeto, que dirá um programa sério e realista de governo que compense o dinheiro que pagamos aos canalhas.
    Nossa dívida pública cresce exponencialmemnte, e cada brasileiro, mesmo as crianças que estão nascendo nesse momento já abrem os olhos devendo algo bem torno de 30.000 reais.
    Isso parece irreal, mas basta fazer a conta e dividir a dívida pública pelo número de brasileiros.
    A coisa é muito séria, e os governos se sucedem aumentado a dívida para bancarem as mordomias dos servidores públicos, dos funcionários das estatais e dos militares.
    Tudo isso salta aos olhos
    e o povo brasileiro atordoado com todo tipo de problemas, e agora, vem a pandemia para acabar de vez com a possibilidade de perceber tal situação.
    Pecamos ao nosso Bom Deus que nos dê sabedoria e paz de espírito para combatermos esses diabos que em conluio apenas querem enricar às custas do honrado e espoliado povo brasileiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *