Estratégia do PT é fomentar a polarização para tentar vencer logo no primeiro turno

lápis de memória: Polarização política

Charge do João Bosco (O Liberal)

Denise Rothenburg
Correio Braziliense

Embora 90% das candidaturas estaduais do MDB tenham chancelado o acordo pelo lançamento da senadora Simone Tebet à Presidência da República, o PT e seus aliados vão trabalhar para conquistar o que puder de apoio emedebista ainda no primeiro turno.

Na reunião que formatou o conselho político da candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi dito que, em todos os anos de eleição presidencial, o PT nunca encontrou um cenário tão favorável em maio quanto o de agora.

PRIMEIRO TURNO – A expressão “primeiro turno” não foi dita por Marcos Coimbra, que fez a apresentação dos dados e comparações. Mas muitos dos presentes saíram com vontade de dizê-la, quebrando o histórico de que o PT não vence no primeiro turno.

A avaliação de que a polarização está consolidada será cada vez mais difundida e a ideia é tentar minar as demais candidaturas. Além do MDB, as investidas vão crescer sobre o PDT de Ciro Gomes e, conforme o leitor da coluna já sabe, vão se intensificar também sobre o PSDB, via Geraldo Alckmin.

E O presidente Jair Bolsonaro ficou numa sinuca com o resultado da disputa interna do PL para decidir quem substituirá o deputado Marcelo Ramos no cargo de primeiro vice-presidente da Câmara dos Deputados. O vencedor Lincoln Portela é da bancada evangélica, aliada do Palácio do Planalto. Porém, o deputado Capitão Augusto (SP), bolsonarista de carteirinha, vai concorrer.

RECUAR, TALQUEI? – A avaliação dos aliados do presidente é de que o melhor caminho é o Planalto, agora, manter distância regulamentar dessa disputa. Não dá para brigar com a bancada evangélica em pleno ano eleitoral.

E como não há tem benefício grátis, os estados vão pressionar para que o teto do ICMS de 17% sobre combustíveis, energia e transporte público, instituído pelo projeto do deputado Danilo Forte (União-CE), não baixe a arrecadação. Se hoje não se chegar a um “gatilho” em caso de perda de arrecadação de 5%, por exemplo, a União teria que arcar com a diferença. Aí, quem não quer é governo federal.

O problema é que, se for a votos, a proposta passa. Com ou sem gatilho. O projeto já ganhou fama de que ajudará a baixar os preços dos combustíveis. Para completar, até no Senado há mal-estar em relação aos pedidos dos governadores, porque os estados não cumpriram à risca a lei que tentou padronizar a cobrança de ICMS sobre combustíveis.

5 thoughts on “Estratégia do PT é fomentar a polarização para tentar vencer logo no primeiro turno

  1. A polarização entre Lula e Bolsonaro, tem apoio da mídia. Dias atrás, assisti no jornal da CNN o Lula falando sobre o preços dos combustíveis, deveriam ser calculados em Reais. Foi uma aparição de dia e uma a noite no mesmo dia.
    Essa é uma bandeira que Ciro Gomes levantou há muito tempo e não foi apresentado no jornais da televisão como apresentam agora quando dito pelo Lula. A pouca chance de Ciro apresentar seus projetos são nos debates quando é convidado pela televisão, nos jornais, pouco se fala no Ciro Gomes ,parece que é proibido falar no nome dele, principalmente os jornalistas da Globo
    Todos projetos do Ciro Gomes, serão repetidos pelo Lula. O problema é se Lula tem credibilidade e preparo para executar os projetos apresentados pelo Ciro Gomes.

  2. Questa frase di Giovanni Falcone è una delle sue più celebri. Mentre scrivevamo il nostro podcast ”Cosa Resta”, però, ci siamo imbattuti anche in un’altra frase. È meno famosa e fa più male.

    Falcone, che è stato ucciso da Cosa Nostra esattamente 30 anni fa, la disse durante una trasmissione televisiva, quando una ragazza del pubblico gli chiese a chi assomigliasse la mafia: “La mafia rassomiglia ai palermitani, ai siciliani, agli italiani. I mafiosi non sono dei marziani”, disse. “La mafia non è estranea al tessuto sociale che la esprime, non è un cancro proliferato per caso su un tessuto sano. Vive in perfetta simbiosi con la miriade di protettori, complici, informatori, debitori di ogni tipo, grandi e piccoli maestri cantori, gente intimidita o ricattata che appartiene a tutti gli strati della società”.

    Il grande messaggio di Giovanni Falcone fu questo: smettetela di considerare la mafia come un corpo estraneo – e dunque di assolverci tutti. La mafia fa parte di un sistema, e quindi va combattuta collettivamente.

    Specie nei suoi ultimi anni, il magistrato che aveva cambiato per sempre la lotta alla mafia iniziò ad andare di più in tv. Voleva farci comprendere che la lotta alla mafia non doveva essere un’opera di repressione giudiziaria ma anzitutto un movimento culturale.

    Nada diferente do que o PT é no Brasil. E o Moro que se cuide pois o seu destino pode ser o mesmo do Giovanni.

    • Duvido, mas adianto:
      Como anexo da faixa presidencial será contemplado com um par de algemas côr-de-rosa com as iniciais “M do M”, gravadas!

  3. É claro que a estratégia de Lula será toda direcionada para conquistar o voto útil do eleitor consciente de Ciro para liquidar a fatura no 1º turno, esse eleitor consciente já sacou que o PDT, infelizmente, se transformou em linha auxiliar da extrema direita, para vergonha dos poucos brizolistas que ainda restam na legenda. O fracasso de Ciro com Gregório Duvivier já iniciou o desencadeamento de um movimento maciço de eleitores ciristas em direção a Lula, e esse movimento é inexorável, irreversível, inevitável. Ciro Gomes e Aldo Rebelo são neofascistas e adeptos do plano militar até 2035.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.