Ningum com coragem para calar o vice

Carlos Chagas

Quinta-feira, na mesma hora em que em Nova York o Conselho de Segurana das Naes Unidas pronunciava-se pelo fortalecimento do tratado de no proliferao de armas nucleares, em Braslia o presidente em exerccio, Jos Alencar, sustentava a necessidade de o Brasil dominar a tecnologia nuclear, inclusive produzindo a bomba atmica, importante para a garantia do petrleo do pr-sal.

No Conselho de Segurana da ONU, presidido pelo presidente Barack Obama, dos Estados Unidos, estavam delegados da Rssia, China, Inglaterra e Frana, todas potncias nucleares. Quer dizer, eles podem, alm de alguns outros, mas o resto do mundo, no. Estamos proibidos de seguir-lhes o exemplo. Trata-se de desfaatez. Malandragem e prepotncia. Fingimento puro, voltado nesse momento contra o Ir e a Coria do Norte. Entrar o Brasil no rol dos pases proscritos, caso o presidente Lula d seguimento s exortaes de seu vice?

Parece difcil, ainda que no impossvel. O herico Jos Alencar tem o dom de falar a verdade, mesmo incmoda. H sete anos insurge-se publicamente contra os juros astronmicos, contrariando a poltica econmica do titular. Ningum, a comear pelo Lula, teve e tem coragem para pedir ao vice-presidente que se cale. Agora, tambm, na defesa do direito de nos tornarmos potncia nuclear.

Dobradinha em ascenso

Hoje, no Rio Grande do Norte, os governadores Jos Serra e Acio Neves confraternizaram outra vez. Compareceram conveno regional do PSDB e no perderam oportunidade para, de novo, trocarem elogios e reafirmarem a disposio de seguirem juntos na sucesso do prximo ano. Apesar das negativas de formao de uma chapa nica, que se divulgada agora enfraqueceria um deles, parece bvia a dobradinha. Serra para presidente, Acio para vice. E quem alegar tratar-se de uma volta aos tempos da Repblica Velha, quando o acordo caf-com-leite dominava a poltica nacional, bom lembrar: h sete anos a aliana So Paulo-Minas manda no pas. Ou o Lula representa Pernambuco, apesar de ter nascido l?

Desafio

O senador Mrio Couto, do PSDB do Par, ocupou novamente a tribuna do Senado para agredir o diretor-geral do DENIT, Jos Lus Pagot. Disse que o alto-funcionrio rouba dinheiro pblico. No teve meias palavras, desafiando o agredido a process-lo, oportunidade para apresentar provas.

A gente se pergunta como um episdio desses pode passar em branco, mas no a primeira vez. Mrio Couto j denunciou antes o mesmo personagem, pelos mesmos motivos. Pagot suplente do senador Jlio Campos, de Mato Grosso. Dias atrs, preferiu no assumir, quando da licena do titular. Certamente para evitar atrito ainda maior com o representante do Par. O diabo que essa baixaria no acontece num grmio estudantil ou na diretoria de um clube de futebol. Verifica-se no Senado Federal, com transmisso direta para todo o pas, via rdio e televiso.

Nova lambana

Para ficar no Senado, vale registrar o apelo do senador Pedro Simon para que a mesa diretora dos trabalhos recue na deciso de permitir a seus membros e aos lderes dos partidos nomearem mais trs funcionrios no concursados, cada um, para ficarem em seus estados de origem. E com salrios de mais de 9 mil reais por ms. Claro que para trabalharem na campanha de reeleio dos lderes e dos membros da mesa.

Simon lembrou o argumento do senador Jos Sarney, de que autorizou as nomeaes a pedido dos lderes dos partidos. Mais ainda, disse que os lderes do DEM, do PSB e do PT desmentiram a reivindicao e at afirmaram ser contra, no devendo, assim, nomear mais trs funcionrios. Para o representante do Rio Grande do Sul, s uma palavra define a lambana: ridculo.

Aproveitou para outra crtica ao presidente do Senado, em suas palavras dono de diversos rgos de comunicao no Maranho, mas que criticou a imprensa por pretender representar o povo.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.