O Globo, manchete da enganao: O rveillon da pacificao

Para demonstrar que continuar o mesmo neste 2010 que comea, insistiu na tese das favelas pacificadas, usou a palavra bem l no alto da Primeira. E ainda chega ao absurdo de afirmar: Aplaudidos pela multido, ASFALTO e MORRO celebram a paz na chegada de 2010.

Alm de violentarem a lngua (no CELEBRAM e sim FESTEJAM), o culto da inverdade. No h PACIFICAO alguma, como j demonstrei, o que h um acordo esprio e desanimador. Alm do mais, essas passagens de anos, sempre foram CELEBRADAS, H!H!H!, na maior tranquilidade. No existe registro, no Rio ou em So Paulo, de qualquer baderna ou desordem nas festas do rveillon.

Alm do mais, mesmo se quisessem, no poderiam brigar, no havia espao para nada. A Polcia Militar, que tradicionalmente faz o melhor clculo de multides, confirmou os 2 milhes, com tendncia de um pouco acima.

Portanto, como no haver paz? Paz, mas no a mentirosa pacificao. H alguns anos, as desordens nas praias do Leme e Arpoador, eram provocadas por baderneiros profissionais, que desciam em massa de nibus, se despejavam nas areias. Claro, durante o dia, havia muito espao para correrias e para o noticirio.

PS Perguntinha intil, incua, ingnua: como as favelas esto pacificadas e sem traficantes, no h quem venda ou compre drogas? Serginho Cabralzinho, ento, est fazendo publicidade errada. Devia insistir por todos os meios de promoo e comunicao: LIQUIDAMOS COM O VCIO, NINGUM MAIS CONSOME, CHEIRA OU SE INJETA DROGA. Um vitorioso.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.