O poema do Exílio, de Casimiro de Abreu, que inspirou Tom Jobim e Chico Buarque

Paulo Peres
Poemas & Canções

O poeta Casimiro de Abreu (1839-1860) nasceu em São João da Barra (RJ) e foi um intelectual brasileiro da segunda geração romântica.  Sua poesia tornou-se muito popular  durante décadas, devido à linguagem simples, delicada e cativante, e aos temas comuns do lirismo romântico: o amor impossível e platônico, o conflito entre o desejo e a pureza, a depressão e a morte.

Também está presente em sua obra a exaltação às glórias da independência e o sentimento patriótico, tema deste poema “Canção do Exílio”, que inspirou a premiada composição “Sabiá”, de Tom Jobim e Chico Buarque.

CANÇÃO DO EXÍLIO
Casimiro de Abreu

Se eu tenho de morrer na flor dos anos,
Meu Deus! não seja já;
Eu quero ouvir na laranjeira, à tarde,
Cantar o sabiá!

Meu Deus, eu sinto e tu bem vês que eu morro
Respirando este ar;
Faz que eu viva, Senhor! dá-me de novo
Os gozos do meu lar!

O país estrangeiro mais belezas
Do que a pátria, não tem;
E este mundo não vale um só dos beijos
Tão doces duma mãe!

Dá-me os sítios gentis onde eu brincava
Lá na quadra infantil;
Dá que eu veja uma vez o céu da pátria,
O céu do meu Brasil!

Se eu tenho de morrer na flor dos anos,
Meu Deus! não seja já!
Eu quero ouvir na laranjeira, à tarde,
Cantar o sabiá!

Quero ver esse céu da minha terra
Tão lindo e tão azul!
E a nuvem cor de rosa que passava
Correndo lá do sul!

Quero dormir à sombra dos coqueiros,
As folhas por dossel;
E ver se apanho a borboleta branca,
Que voa no vergel!

Quero sentar-me à beira do riacho
Das tardes ao cair,
E sozinho cismando no crepúsculo
Os sonhos do porvir!

Se eu tenho de morrer na flor dos anos,
Meu Deus! não seja já;
Eu quero ouvir na laranjeira, à tarde,
A voz do sabiá!

Quero morrer cercado dos perfumes
Dum clima tropical,
E sentir, expirando, as harmonias
Do meu berço natal!

Minha campa será entre as mangueiras
Banhada do luar,
E eu contente dormirei tranquilo
À sombra do meu lar!

As cachoeiras chorarão sentidas
Porque cedo morri,
E eu sonho no sepulcro os meus amores
Na terra onde nasci!

Se eu tenho de morrer na flor dos anos,
Meu Deus! não seja já
Eu quero ouvir na laranjeira, à tarde,
Cantar o sabiá!

One thought on “O poema do Exílio, de Casimiro de Abreu, que inspirou Tom Jobim e Chico Buarque

  1. 1) Grande poeta nosso, o Casimiro.

    2) Agora licença… pensamento do dia:
    “Jornalismo é publicar aquilo que alguém não quer que se publique. Todo o resto é publicidade” – George Orwell (1903-1950), escritor, jornalista.

    3) O autor nasceu na Índia, mas tinha nacionalidade inglesa, pois o Reino Unido, naquela época tinha a Índia como colônia.

    4) Hoje estaria fazendo aniversário, 25/06/1903. É autor do famoso livro “A Revolução dos Bichos”, em algumas edições tem o título de “A Fazenda dos Animais”.

    5) Nem de esquerda, nem de direita, dizia-se Autonomista, uma espécie de Anarquismo de Centro. Ateu convicto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *