Os desatinos e os escndalos viajaram

Carlos Chagas

Para sair de frias, no h fora humana ou divina que impea. Falamos do Congresso, como poderamos falar, tambm, do Judicirio e seus tribunais superiores. Com toda certeza no haver um trabalhador em todo o territrio nacional que no tenha sido obrigado, em algum momento, a adiar frias antes programadas. A empresa exige, a repartio apela, at a famlia se intromete.

Com deputados e senadores, de jeito nenhum. O primeiro semestre parlamentar foi atpico, entrando tempestuoso pelo ms de julho. Desde a mais recente agresso do presidente Lula, chamando os oposicionistas de pizzaiolos, at a explosiva CPI da Petrobrs, a constituio singular do Conselho de tica do Senado, as sucessivas denncias contra o presidente Jos Sarney, a votao atabalhoada da Lei de Diretrizes Oramentrias, enfim, no obstante um desgaste poucas vezes verificado no Legislativo apesar de tudo, deram-se as mos lderes e bancadas de todos os partidos. Escafederam-se sorrindo. Esqueceram divergncias e desafetos, tanto quanto a necessidade de investigar, esclarecer e prestar contas opinio pblica de uma das maiores crises de sua histria. Cessa tudo, na hora de Suas Excelncias ganharem o caminho da praia, da montanha ou do exterior.

Causava espanto a movimentao no aeroporto de Braslia, no fim de semana. O saguo de entrada parecia um plenrio lotado e efervescente, ainda que a maior parte dos representantes do povo tenha encontrado nova forma de escapar do prprio, quer dizer, do povo. Embarcam atravs de salas especiais, antes da plebe. Raramente entram em filas, j que seus aspones fazem o check-in antecipado.

Muita gente fica com a impresso de o Congresso haver encenado uma farsa na capital federal, de fevereiro at agora, porque fecharam as gavetas, empurraram graves questes para agosto e, felizes, foram embora. Depois se argumenta que Braslia o centro da corrupo, dos desatinos e dos escndalos. No . Os escndalos, os desatinos e a corrupo viajaram…

As obras de Santa Engrcia

No tempo dos nossos avs, quando os portugueses ainda mantinham forte influncia na vida cultural e comercial do Brasil, era comum o uso da imagem lusitana que lembrava as obras Santa Engrcia para explicar empreitadas sempre adiadas e jamais completadas. A referncia ia para a construo da igreja de Santa Engrcia, em Portugal, iniciada no sculo XVI e poca ainda no concluda.

mais ou menos o que acontece com a aquisio dos imprescindveis novos avies de caa para a Aeronutica. Estamos defasados de dcadas em nosso equipamento areo, e nem se compara a situao com os Estados Unidos, a Rssia, a China e outros pases militarmente desenvolvidos. Perdemos para a Venezuela, o Peru, o Chile, a Argentina e a Colmbia, em nmero e qualidade de aeronaves de combate. H quantos anos ouvimos dizer que o governo, agora, modernizar nossa frota? Mil anncios so feitos, contratos anunciados, mas nossos pilotos frustram-se h vrias geraes. Esto enganando a Fora Area Brasileira faz muitos presidentes da Repblica. Um dia, queira Deus que jamais acontea, ficaremos arrependidos de tanta protelao, porque dinheiro para acudir bancos falidos e empresas em estado pr-falimentar, nunca faltou. Para garantir a segurana e a soberania nacional, outra conversa…

No tem prazo

Irrita-se o presidente Lula toda vez que toma conhecimento da opinio de parlamentares da base oficial no sentido de estabelecer prazos para a consolidao da candidatura da ministra Dilma Rousseff. Porque com razovel cautela, at companheiros do PT afirmam que esto com a candidata, mas que ela deve afirmar-se antes do final do ano, nas pesquisas. No h prazo, para o Lula, ainda que sempre acrescente estarem os resultados muito melhor do que as previses. Mas no admite dvidas e questionamentos. Dilma o nome e no haver que reformar a deciso.

So poucos, no PT e fora dele, nos partidos que apiam o governo, com coragem de ponderar junto ao chefe a hiptese de a chefe da Casa Civil no decolar. Falta coragem para questionar a imposio presidencial. De qualquer forma, haver que aguardar.

Deixe que eles falem…

Do outro lado, no ninho dos gro-tucanos, prevalece a determinao de Jos Serra de falar pouco sobre sua candidatura mas de manter frrea a determinao de ir at o fim. Quando indagado da possibilidade de abrir mo da disputa pelo palcio do Planalto e fixar-se na reeleio para o palcio dos Bandeirantes, o governador reage sempre com a mesma resposta: deixe que eles falem…

A referncia para o fato de que o PSDB identifica no governo e no PT a onda de insinuaes a respeito de Serra preferir o certo ao duvidoso, ou seja, preferindo o segundo mandato em So Paulo. Para quem o conhece, desde os tempos em que presidia a Unio Nacional dos Estudantes, essas verses s fazem solidificar ainda mais a disposio pela candidatura presidencial. Precisa evoluir com cuidado, at pela existncia das pretenses do governador de Minas, Acio Neves. Mas a concluso de que vai at o fim.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.