Tempo na TV, complicador para Ciro e Marina

Pedro do Coutto

Na edio de 28 de setembro de O Estado de So Paulo, a reprter Cristiane Samarco revela que Ciro Gomes pretende convidar o ministro Carlos Lupi para ser candidato a vice presidente em sua chapa, visando com isso ampliar o tempo a que tem direito o PSB nos horrios de propaganda gratuita da Justia Eleitoral. Carlos Lupi, claro, titular do trabalho, portanto integrante do governo, s poder decidir tal rumo depois de consultar o presidente Lula. Afinal de contas, pertence ao PDT e o Partido Democrtico Trabalhista faz parte da base aliada. Entretanto, a matria conduz o debate a um aspecto essencial, sobretudo nos dias de hoje em que a comunicao de massa adquire carter essencial nas campanhas polticas. Trata-se do tempo que cabe a cada partido ou coligao nos horrios de propaganda poltica. Gratuita, alis, a nica admitida pela Lei Eleitoral. importante observar-se o que diz a lei 9504 de setembro de 97. Os horrios de propaganda, de acordo com o pargrafo 2 do artigo 47, so estabelecidos com base em trs pontos.

Primeiro: um tero da quase meia hora diria dividido em partes iguais pelos partidos que apresentarem candidatos presidncia.

Segundo: dois teros distribudos de acordo com a proporcionalidade das bancadas na Cmara Federal.

Terceiro: diviso em partes iguais do tempo que caberia aos partidos que resolverem no apresentar candidatos.

Para se ter uma idia, so 25 minutos dirios tarde e noite. Vantagem enorme para o PT, PMDB e PSDB, vindo o DEM logo atrs.Espao muito pequeno para o Partido Socialista Brasileiro. Teria um minuto e dez segundos, quatro por cento do total. Muito pouco. Da a necessidade de Ciro formar alianas para romper o teto extremamente baixo. Mas com que partidos? Com os que esto com Jos Serra e com Dilma Roussef no ser possvel. Tampouco com o PPS de Roberto Freire, ao qual se filiou o ex presidente Itamar Franco. Torna-se difcil o caminho de Ciro.

Sua luta em tentar ultrapassar a chefe da Casa Civil e rumar para um segundo turno fica extremamente dificultada. No possvel, pois toda a campanha depende do desempenho do candidato. Mas isso em condies de equilbrio e diviso aproximada de espaos. No o caso. O problema de Ciro estende-se senadora Marina Silva, pelo PV. Frao igualmente muito reduzida. O problema de tempo no apenas dos candidatos presidncia. Atinge os candidatos aos governos estaduais exatamente na mesma proporo. Se Fernando Gabeira, do Partido Verde, correligionrio de Marina, obtivesse o apoio do PSDB, seria uma coisa. Mas com a candidatura da senadora pelo Acre no poder apoiar Jos Serra, pois a lei impede este tipo de composio. Gabeira passar a ter espao extremamente reduzido no Rio de Janeiro. Espao bom ter o governador Sergio Cabral, que do PMDB, ainda que o PT no o apie nas urnas. Enfim, o destino das candidaturas depende muito da presena que puderem obter em suas campanhas. Mesmo que as mensagens sejam produzidas com elevada competncia, o tempo de exposio influi sensivelmente.

impossvel que espaos amplos sejam mal utilizados. Esta outra questo. No se pode analisar hoje o que somente ser produzido amanh. Por isso, tem que se falar em tese, analisar sob o ngulo da teoria, no da prtica. Milagres acontecem, pois o talento humano possui importncia decisiva. Mas tem limites, uma vez que, no caso, no se trata de arte, da criao, mas sim dos perodos de exposio. Os tempos longos, s vezes, saturam. Este outro caso. Mas para se avaliar bem a questo pergunte-se aos prprios candidatos se4 desejam possuir espaos amplos ou curtos na televiso.Ningum vai preferir o mnimo.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.