Mais uma vez, o dólar é negociado em estabilidade e a cotação continua abaixo de R$ 5,00

Resultado de imagem para queda do dolar charges

Charge do Sinfrônio (Arquivo Google)

José Carlos Werneck

Enfim uma notícia boa, apesar dos estragos que a Pandemia vem fazendo na Economia. O dólar operou em queda nesta terça-feira, com os investidores reagindo à notícia de que o Comitê de Política Monetária avaliou a possibilidade de acelerar a alta dos juros em sua reunião da semana passada.

A moeda norte-americana fechou a R$ 4,96, a menor cotação nos últimos dez meses. Na quarta-feira, o mercado operou em estabilidade e o dólar fechou em 4,97.

CENÁRIO – O Comitê de Política Monetária do Banco Central informou nesta terça-feira que os últimos dados sobre o nível da atividade econômica “continuam surpreendendo positivamente”, apesar da intensidade da segunda onda da pandemia.

O Copom ressalvou, porém, que as tarifas de energia devem manter a inflação alta no curto prazo e chegou a considerar uma alta maior da Selic no próximo mês, com possível repique de mais 0,75% na taxa Selic.

A última reunião do Comitê foi na semana passada, quando a taxa básica de juros foi elevada de 3,5% para 4,25% ao ano, o maior patamar em um ano e meio.

AVALIAÇÃO – O mercado financeiro elevou de 6,25% para 6,50% ao ano a previsão para a Selic no fim de 2021, segundo pesquisa Focus divulgada na véspera pelo Banco Central. Para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial do país, a expectativa para este ano subiu de 5,82% para 5,90%, enquanto a projeção para a taxa de câmbio no fim de 2021 recuou de R$ 5,18 para R$ 5,10.

O bom seria que esse cenário promissor fosse utilizado para que o Governo tomasse medidas eficazes para melhorar a situação dos brasileiros, principalmente, daqueles que estão sofrendo muito com o desemprego recorde, em quase 15%, e com a absurda alta no preço dos alimentos, que vem fazendo com que muitas famílias carentes estejam passando por muitas necessidades, ou literalmente sentindo fome num Brasil mundialmente muito bem posicionado no agronegócio.

Nada adianta sermos um país rico com um povo pobre!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *